Hospedagem

Família carioca acolherá jovens em sua casa

Família carioca fala da expectativa de acolher jovens em sua casa durante Jornada Mundial da Juventude

A Jornada Mundial da Juventude aproxima-se, e a alegria de estar com jovens do mundo inteiro só aumenta. Diversas nações, diversos costumes e culturas em um mesmo lugar: no Rio de Janeiro. Em julho, o evento, que conta com a presença do Papa Francisco, também viverá um tempo intenso de novas amizades e convivência com peregrinos de inúmeros países.

Moradores da Arquidiocese do Rio de Janeiro e subsedes vão acolher os jovens peregrinos nacionais e internacionais que passarão pela Cidade Maravilhosa, no período de 22 a 31 de julho, para participar da JMJ Rio2013. “A fraternidade será o grande tesouro para mostrarmos ao mundo que, independente de raça, cor e nação, nossa fé é a mesma, cremos no mesmo Deus”, diz  a jovem carioca Milhene Guimarães, voluntária da JMJ.

familia

Jorge, Laura e Leopolda, família carioca

De acordo com a responsável pelo Setor de hospedagem da JMJ Rio2013, Irmã Graça Maria, CNSB, as hospedagens serão em casas de famílias, paróquias, escolas públicas e particulares, ginásios poliesportivos, casas de festas, centros comunitários e outros locais que sejam seguros e cobertos para o pernoite do peregrino.A distribuição dos peregrinos será feita por regiões linguísticas. E os alojamentos e casas serão utilizados apenas para o pernoite e higiene pessoal dos peregrinos.

Laura de Souza Oliveira, Jorge Fabre Oliveira e Leopolda Pereira de Souza Oliveira vão acolher jovens em sua casa e já estão na expectativa para acolher os peregrinos. Eles conversam conosco para partilhar um pouco do que já estão vivendo.

Por que vocês decidiram acolher peregrinos estrangeiros na JMJ? O que os impulsionou?
Laura – A iniciativa partiu do meu pai. Ele estava muito animado e animou a família. Ele já tinha vivido uma experiência parecida, em um retiro de formação de liderança, na nossa diocese, em que precisou ser acolhido na casa de pessoas diferentes.

 Leopolda – Coloquei-me no lugar das pessoas que virão e pensei também que isso poderia, um dia, acontecer com minha filha.

Como vocês estão se preparando para a JMJ? O que vocês já tem feito para receber os peregrinos?

 Leopolda – Em primeiro lugar, estamos intercedendo para que dê tudo certo na Jornada e na viagem deles. Também fizemos algumas reformas na casa para atender melhor as pessoas que virão. Compramos algumas lembrancinhas para eles levarem como recordação do nosso país.

Qual é a expectativa quanto à acolhida?

 Laura – De poder acolher os peregrinos bem e manter a amizade com eles, mesmo morando em países diferentes, porque, embora falemos línguas diferentes, professamos a mesma fé.

Leopolda – Pretendo tentar me entrosar ao máximo com eles para aprender um pouco sobre a cultura de cada um.

Jorge – A ideia é fazer um ambiente familiar para eles. Queremos viver esses dias como família.

Vocês já sabem quem são os peregrinos que vão acolher em sua casa? Sabem de onde eles são?

R – Por enquanto, não temos certeza, porém há uma possibilidade grande de serem espanhóis.

Qual são os cuidados que já estão tendo já na preparação da casa?

R – Temos uma preocupação com nossos animais, porque não sabemos se as pessoas que acolheremos têm alergias ou algum problema parecido. Estamos preparando um lugar para nossos bichinhos de estimação ficarem mais distantes da casa para não termos nenhum contratempo.

E como será nos dias que os peregrinos estiverem aqui?

Laura – A rotina da casa vai mudar. Teremos que ser bem dinâmicos para poder acomodá-los bem, não como em um hotel ou como hóspedes, mas sim como uma família.

Jorge – Minha maior preocupação era quanto ao idioma falado pelos peregrinos. Pensei que viessem um de cada nacionalidade e confesso que isso me deixou preocupado no início, mas, depois que fiquei sabendo que serão todos do mesmo país, e, certamente da Espanha, fiquei mais tranquilo.

 Vocês já prepararam alguma atividade especial para fazer com eles?

Leopolda– No primeiro dia, a intenção é deixá-los descansar da viagem, que deve ser bastante cansativa e longa.

Pretendemos fazer uma festa junina para mostrarmos um pouco da nossa cultura e comida para eles. Queremos que eles conheçam nossos familiares (primos, tios etc.). Também pensamos em fazer algumas brincadeiras e jogos durante a noite, tempo que teremos para conviver com eles.

Você e sua família vão acolher peregrinos? Partilhe conosco sua experiência.

Comentários O seu comentário será aprovado automaticamente, portanto evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.