Segurança na JMJ

Subsecretário comenta esquema de segurança para JMJ e tranquiliza peregrinos

Subsecretário de grandes eventos no Rio disse que será alocado todo recurso humano e material disponível para garantir a segurança na JMJ

Jéssica Marçal
Da Redação

Subsecretário comenta esquema de segurança para JMJ e tranquiliza peregrinos

Capital carioca será sede do evento que será realizado de 23 a 28 de julho. Segundo subsecretário, esquema de segurança contará com efetivo máximo

A segurança é uma das grandes preocupações de quem está se preparando para ir ao Rio de Janeiro para a Jornada Mundial da Juventude. E se antes já existia a preocupação com a violência, soma-se a isso a recente onda de manifestações que têm mobilizado cidadãos de várias partes do país.

Sobre esse assunto, a equipe do tamujuntojmj.cancaonova.com conversou com o subsecretário extraordinário de Grandes Eventos do Rio de Janeiro, Roberto Alzir Dias Chaves. Ele informou que, para garantir a segurança dos peregrinos durante a JMJ 2013, a operação montada envolverá desde a polícia rodoviária federal, polícias civil e militar, corpo de bombeiros e ministério da defesa, envolvendo exército, marinha e aeronáutica.

O subsecretário lembrou que o Rio de Janeiro já tem tradição em organização de grandes eventos, citando como exemplos a Rio+20, jogos pan-americanos, réveillon e carnaval.

Para a JMJ, ele estima em cerca de oito mil o número de policiais civis e militares que devem trabalhar extraordinariamente. E embora os números totais de recursos e seus respectivos custos ainda não estejam fechados, ele afirmou que foi passado às polícias civil e militar que todo recurso humano e material disponível será alocado.

“O policiamento ordinário da cidade é mantido, não só na capital como no interior e na região metropolitana. Fora isso, todo policial disponível, as férias estão sendo suspensas, licenças, cursos, escalas estão sendo diminuídas para que todo esse efetivo seja aplicado durante a Jornada Mundial da Juventude”.
 
Manifestações

E com relação às recentes manifestações, Roberto disse que ainda se trata de um cenário indefinido, mas o esperado é que, até a JMJ, não se tenha conflitos violentos.

De toda forma, ele informou que a secretaria está acompanhando a possibilidade de alguns movimentos pacíficos. Segundo ele, os movimentos terão sua liberdade de expressão garantida e a equipe está trabalhando para que isso não tenha impacto sobre a organização da JMJ.

“Nós temos forças já aplicadas na operação em quantidade bastante significativa e temos também forças de contingência que podem ser acionadas para administrar alguma eventualidade durante o evento”.
 
Orientações aos peregrinos

Além de um esquema de segurança reforçado, as atitudes dos peregrinos também podem ajudar a evitar incidentes indesejáveis.

O secretário informou que foi encaminhado ao Comitê Organizador algumas recomendações para que estas façam parte do material que vai ser dado ao peregrino.

“É importantíssimo que o peregrino se atenha à rotina oficial do evento, ou seja, aos locais de catequese, de eventos culturais, de eventos principais. Esse circuito oficial está sendo mapeado pelas polícias e está sendo alocado recurso para garantir a segurança do peregrino nesses eventos, nesses deslocamentos considerados principais e oficiais”.

Roberto também lembrou que andar sempre em grupo é uma ação preventiva e aproveitou para deixar uma mensagem tranquilizante para os que irão ao Rio de Janeiro.  “Eu reforço a todos vocês a absoluta certeza de que todos os órgãos estão se empenhando ao máximo junto ao Comitê Organizador para que essa experiência durante a Jornada seja extremamente positiva”.

Comentários O seu comentário será aprovado automaticamente, portanto evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo