Acolhida a Francisco

Residência Assunção prepara simplicidade para receber Papa

Superiora da residência conta que tudo está sendo preparado para que Francisco não sinta tratamento diferenciado

Da Redação, com Rádio Vaticano

Residência Assunção prepara simplicidade para receber Papa

Vista parcial da residência Assunção, no Centro de Estudos do Sumaré, onde o Papa ficará hospedado durante a JMJ

Durante sua estadia no Rio de Janeiro para a Jornada Mundial da Juventude, Papa Francisco vai ficar hospedado na residência Assunção no Centro de Estudos do Sumaré.

Irmã Terezinha é a superiora da residência e responsável pela organização. Ela explica que tudo foi pensado para manter a simplicidade e para que o Papa não sinta um tratamento diferenciado dos demais. “Ele não gosta de solidão e individualismo. Tudo o que está sendo feito é para todos. Nada diferenciado para ele”, explica a religiosa.

A residência Assunção no Centro de Estudos do Sumaré já recebeu o Papa João Paulo II em 1980 e em 1997 quando visitou o Rio de Janeiro. Além do Sumo Pontífice, a residência vai acolher sete sacerdotes da Comitiva do Papa e 30 cardeais ficarão hospedados nos quartos do Centro de Estudos. De acordo com irmã Terezinha, a organização está prevendo acolher até 38 pessoas.

Para servir a todos, as quatro irmãs que trabalham no Centro vão contar com a ajuda de mais 24 religiosas do Instituto Nossa Senhora do Bom Conselho e 20 funcionários, que se alternarão em turnos. O cardápio para os dias também foi planejado para manter a simplicidade e, de acordo com a irmã, uma comitiva do Vaticano acompanha os preparativos para manter a dieta do Papa.

Quarto do Papa

Segundo o bispo auxiliar do Rio de Janeiro, Dom Roque Costa Souza, todos os quartos da casa Assunção estão sendo preparados com o mesmo cuidado e zelo para que o Santo Padre possa escolher onde ficar. O quarto oficial do Papa Francisco tem as mesmas coisas que os outros sete quartos da residência.

Tinha sido reservada para o Papa uma suíte com dois ambientes: um escritório amplo com uma grande mesa de trabalho de madeira, uma estante com livros de Dom Eugênio e um frigobar; e o quarto com uma cama confortável, um closet e um banheiro. No entanto, a orientação dada pelo Vaticano era que a suíte fosse a mesma dos cardeais.

Todas as suítes do Centro de Estudos têm uma mesinha simples de escritório de madeira, um armário, um frigobar. Algumas têm ainda uma pequena varandinha onde é possível ter uma vista privilegiada do Rio.

Reforma

O local que será a casa oficial do Papa durante a JMJ passou por uma restauração nos últimos três meses. De acordo com a responsável pela restauração e reforma, Daisy Ketzen, a residência tem estilo clássico. “A casa é simples e sólida. Ela não é luxuosa. Tem poucos elementos”, explica.

Construída na década de 1950, a residência tem, porém, elementos artísticos valiosos e que marcam a História da Igreja Católica no Brasil, como a porta de acesso da casa. Com cerca de 270 anos, a porta pertencia à antiga Igreja de São Pedro dos Clérigos que ficava no centro do Rio de Janeiro. A igreja foi inaugurada em 1740 e demolida em 1944 para a construção da Avenida Presidente Vargas.

A porta traz marcas do estilo barroco da antiga igreja e, após a restauração, será mantida na cor original da madeira usada para construí-la. Além da porta, a casa tem uma mobília da década de 1950  feita de madeira nobre e um estofamento datado de 13 de junho de 1913.

O jardim interno do palácio também foi reformado. O projeto é uma homenagem ao Papa Francisco e faz referência aos Exercícios Espirituais de Santo Inácio de Loyola, fundador da Companhia de Jesus, da qual o Santo Padre fez parte. As plantas contam a vida de Cristo, nascimento, vida pública, paixão, morte e ressurreição.

Comentários O seu comentário será aprovado automaticamente, portanto evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo