Experiência do primeiro dia

Primeiro dia de Jornada: "Não tem como explicar o que sentimos aqui"

Peregrinos relatam experiência marcante no primeiro dia de JMJ, “É algo inesquecível!”

Por Daniel Machado
Enviado especial ao Rio de Janeiro

Parece que nem o dia mais frio do ano no Rio de Janeiro atrapalhou a chegada de milhares de peregrinos a praia de Copacabana, nesta terça-feira (23), para o primeiro dia da Jornada Mundial da Juventude.

Nas ruas de Copacabana, trajando suas bandeiras, vestidos com capas de chuvas e cantando seus hinos, os jovens voltavam para os locais de hospedagem depois de participarem da Missa de abertura presidida pelo arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta.

“Não tem como explicar o que sentimos aqui, é uma experiência muito forte de fé. Ah, é lindo!”, disse a jovem Alarícia de Mato Grosso, que pela primeira vez participa de uma Jornada Mundial da Juventude.

Alarícia e Jonatan de Mato Gorsso (Foto; Daniel Machado/CN)

Alarícia e Jonatan de Mato Gorsso (Foto; Daniel Machado/CN)

“Um dia de muita aventura e agitado para nós, mas estávamos nos preparando desde janeiro para este momento”, disse Juan, vindo do Peru com um grupo de peregrinos. Para o grupo a eucaristia foi o momento mais alto do dia. “É lindo ver que tudo se encerra na Eucaristia”, disse uma jovem do grupo.

Grupo de peruanos muito animados na JMJ (Foto Daniel Machado/CN)

Grupo de peruanos muito animados na JMJ (Foto Daniel Machado/CN)

No calçadão de Copacabana, bem encolhidos por causa do vento e da chuva que se tornou mais intensa depois da missa, o casal de Pernambuco Débora e Tiago, relataram a experiência do primeiro dia de JMJ. “É uma sensação de acolhimento muito grande que senti neste primeiro dia de Jornada”, disse a jovem Débora. “É muita energia que passa pra gente, ver estes jovens assim na rua… muito bonito!”, comentou Tiago.

Débora e Tiago de Penambuco (Foto: Canção Nova)

Débora e Tiago de Pernambuco (Foto: Daniel Machado/CN)

Fluxo de Pessoas

A programação da Jornada começou às 16 com muita musica no palco principal de Copacabana. Uma operação especial de trânsito interrompeu a Avenida Atlântica às 14hs quando o fluxo de peregrinos já era intensa.

Por volta das 17hs, uma queda de energia interrompeu a circulação do Metrô e algumas estações precisaram ser fechadas; os peregrinos, no entanto, pegaram os seus terços e começaram a rezar. Às 19hs a companhia anunciou que a circulação estava voltando ao normal. Segundo dados mais de 500 mil pessoas estiveram presente no primeiro dia do evento

Jovens rezam o terço em estação do metrô fechada. Paralização se deu por falta de energia (Foto Elcka Torres/CN)

Jovens rezam o terço em estação do metrô fechada. Paralisação se deu por falta de energia, segundo companhia que administra o sitema (Foto Elcka Torres/CN)

 Veja mais fotos

Comentários O seu comentário será aprovado automaticamente, portanto evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo