Testemunho

Juventude transborda de alegria por ter participado da JMJ

Luana Oliveira,
Da redação

Mais de 3 milhões de peregrinos participaram da Santa Missa de envio, a última presidida pelo Papa Francisco, durante a Jornada Mundial da Juventude 2013, no Rio de Janeiro.

No rosto dos jovens que viveram essa celebração de fé e amor à Igreja e ao Papa nota-se alegria e emoção; ao mesmo tempo, certo pesar pelo fim do encontro, que entrou para a história da Cidade Maravilhosa como um dos maiores eventos promovidos por ela até o presente momento. Segundo a jovem Débora Merotto, de 18 anos, a JMJ está deixando uma sensação de saudade: “Nunca imaginei que eu participaria de uma Missa com o Papa. Foi emocionante, mas, ao mesmo tempo, estou triste, pois acabou a jornada”, disse a jovem.

Para a jovem, Débora (do meio) a JMJ Rio 2013 deixará  saudades. Foto: Wesley Almeida /CN

Para a jovem, Débora (do meio) a JMJ Rio 2013 deixará saudades. Foto: Wesley Almeida /CN

Em sua homilia, o Papa Francisco convocou os jovens a serem discípulos e missionários de Jesus Cristo e os exortou a não terem medo de anunciar a Boa Nova do Evangelho.

“Foi um momento maravilhoso de expressarmos a nossa fé, vejo que este é um tempo de renovação da nossa fé”, afirmou o paulista Leandro, de 25 anos. O grande ensinamento deixado pelo Sumo Pontífice, cujo fundamento tocou o jovem peregrino, foi o chamado: “Não basta apenas querer, mas devemos ser jovens missionários”.

O Sucessor de Pedro destacou que a melhor forma de se chegar aos jovens é com a ajuda de outros jovens, ou seja, jovens evangelizando jovens. Rosa Maria, responsável por uma caravana de 240 pessoas, da cidade de Piracicaba (SP), contou-nos que viveu momentos inesquecíveis e que levará consigo para sempre os ensinamentos.

Jovens testemunham como  foi a JMJ Rio  2013 - Foto: Wesley Almeida/CN

Jovens de Piracicaba (SP)  marcam presença na JMJ – Foto: Wesley Almeida/CN

“Agradeço ao Papa pelo que vivemos durante esses dias. Eu já faço parte da missão permanente em minha paróquia, e fiquei muito feliz em poder participar da jornada. Sinto-me enviada pelo Papa”, declarou Rosa Maria.

Com o anúncio do país-sede da próxima JMJ, que será em Cracóvia, na Polônia, muitos peregrinos já manifestaram o desejo de participar do evento: “Se Deus quiser, quero ir para Polônia. Estamos até pensando em aprender polonês”, brincou o jovem Bruno Ávila, de 21 anos, que vibrou com o seguinte trecho da homilia: “Todos nós somos capazes de ser, com a ajuda de Cristo, missionários”.

“Recebo como missão cada palavra dita pelo Santo Padre. Foi importante ouvir dele que devemos ir e fazer missionários ”, confidenciou a capixaba Ariel Horta, de 27 anos. A jovem recordou que todos precisam, onde quer que estejam e onde quer que atuem, ser cristãos e não terem medo de falar de Cristo, como bem ensinou o Papa em sua homilia.

Durante a Santa Missa, os peregrinos não pouparam esforços para ver a chegada do Papa Francisco:

Jovens queriam ver Papa Francisco  passando de papamóvel - Wesley Almeida/ CN

Jovens queriam ver Papa Francisco passando de papamóvel – Wesley Almeida/ CN

O casal Maristela e Alexandre, de Santa Catarina, destacou a alegria de ver tantos jovens reunidos e os ensinamentos deixados pelo Pontífice: “Gosto do jeito simples com que o Papa fala conosco. Aprendi com ele a ser generosa e que devemos cuidar dos nossos jovens”, afirmou a catarinense de 49 anos. O esposo de Maristela, ao se referir à próxima Jornada Mundial na Polônia, disse: “O polonês é um pouco difícil, mas quero, pelo menos, aprender o inglês. Quero, a partir de agora, economizar e, se Deus quiser, daqui a três anos, rumo à Polônia!”.

Comentários O seu comentário será aprovado automaticamente, portanto evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo