Diversas nacionalidades

Jovens de espiritualidade jesuíta se reúnem em encontro pré-JMJ

Vindos de diversas partes do mundo, jovens contam sua experiência com o Magis, encontro pré-JMJ que reúne os que cultivam a espiritualidade inaciana

Jéssica Marçal
Enviada especial ao Rio de Janeiro

Jovens de espiritualidade jesuíta se reúnem em encontro pré-JMJ

Anna Wee, de Cingapura/Foto: Wesley Almeida-CN

Circulando pelas ruas do Rio de Janeiro, antes mesmo do início da Jornada Mundial da Juventude, já é possível identificar jovens de diversas nacionalidades espalhados por todas as partes. Mas, neste domingo, 21, a dispersão deu lugar à unidade: jovens peregrinos de vários cantos do mundo se reuniram no Instituto Santo Inácio, na capital carioca, para o Magis, encontro organizado pela Companhia de Jesus antecedendo a JMJ.

O evento é um dos maiores encontros pré-JMJ e constitui uma experiência espiritual, cultural, pastoral, social e missionária de jovens que cultivam a espiritualidade de Santo Inácio de Loyola, fundador da ordem jesuíta. Os jovens começaram o encontro há cerca de uma semana e puderam fazer experiências pelo Brasil, reencontrando-se no Rio de Janeiro.

A jovem Anna Wee, de 22 anos, é de Cingapura e contou que sua experiência com o Magis lhe proporcionou o contato com a presença de Deus em sua vida, fazendo-a sentir o amor, sentir o abraço de Deus. Ela contou que está empolgada para o encontro com o Papa Francisco, pois nunca o viu antes. “Eu só quero as bênçãos sobre nossa comunidade católica”, disse.

O conterrâneo de Anna, o jovem Bryan Lauw, 21, relatou que sua experiência com o Magis tem sido surpreendente e isso se deve, por exemplo, ao fato de poder conhecer pessoas de diferentes culturas e países. Esse, inclusive, foi um dos aspectos trabalhados pela organização do encontro internacional no Rio. Para propiciar essa troca cultural e os relatos da experiência vivida no Brasil, os jovens foram agrupados segundo diferentes nacionalidades.

Jovens de espiritualidade jesuíta se reúnem em encontro pré-JMJ

Joy Lukwesa veio de Zâmbia para o Brasil pela primeira vez/Foto: Wesley Almeida-CN

E em meio a esse grande grupo, a África também marcou presença: Joy Lukwesa é uma das integrantes do grupo vindo de Zâmbia. Na relação com o Magis, a jovem destacou a questão do amor, da compaixão e da misericórdia para com todas as pessoas. Sobre o encontro com o Papa durante a JMJ, ela está empolgada, esperando mais ainda pela mensagem que o Pontifíce trará. “Eu realmente levo a sério todas as coisas que ele diz e estou muito empolgada para encontrá-lo”.

Para Joy, que pela primeira vez vem ao Brasil, essa experiência de encontrar jovens de outros países, com realidades distintas, é fantástica e ao mesmo tempo envolve o desafio quanto à questão do idioma. Mas ela disse ver uma unidade entre todos, porque eles tentam se comunicar. “Nós estamos tentando. Como, por exemplo, se você não pode dizer uma palavra, você tenta usar sinais e a outra pessoa vai entender. Isso é fantástico”.

Jovens de espiritualidade jesuíta se reúnem em encontro pré-JMJ

Yun-Chih Ma é de Taiwan e participa do encontro do Magis/Foto: Wesley Almeida-CN

O deslumbramento com essa oportunidade de encontro também tomou conta da jovem Yun-Chih Ma, de 21 anos. Ela considerou surpreendente sua estadia em Salvador com jovens de vários países.

“Nós todos estivemos unidos por causa da mesma religião, por causa do nosso Senhor. (…) Para mim, embora haja a dificuldade do idioma, há o amor. As pessoas são legais, o meu grupo é muito legal, então eu não sei como expressar a minha felicidade”.

Comentários O seu comentário será aprovado automaticamente, portanto evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

Este conteúdo foi plublicado na(s) categoria(s) Noticias.
↑ topo