JMJ

A JMJ é um evento que reúne jovens católicos de todo o mundo. Criado pelo Beato João Paulo II, em 1986, tem o intuito de celebrar a fé em Jesus Cristo e mostrar a cara jovem da Igreja. Essa realidade vem atravessando gerações e fronteiras, e reunindo jovens dos quatro cantos do planeta na Jornada Mundial da Juventude, a JMJ.

Dois eventos importantes marcaram o início da JMJ: o Jubileu de 1984 e o Ano Internacional da Juventude, proclamado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1985. Nesse ano da juventude, João Paulo II lançou a Carta aos Jovens, e, em 1986, convidou-os para mais um encontro em Roma, que seria a primeira Jornada Mundial da Juventude.

Jovens na JMJ

Em 1987, o saudoso Pontífice polonês convocou os jovens para mais um encontro em Buenos Aires, tornando a JMJ um encontro de peregrinação internacional. Nesta edição, João Paulo II reafirmou o que vinha afirmando aos jovens desde o início de seu pontificado: “Vós sois a esperança da Igreja, vós sois a minha esperança”. Rapidamente, as Jornadas Mundiais, com esse público, responderam ao clamor do Papa, reunindo milhões de jovens em vários lugares do mundo como Manila, nas Filipinas, na qual se registra o recorde de peregrinos: mais de 4 milhões de pessoas.

Uma jornada especial foi a de Czestochowa, em 1991, a primeira edição depois da queda do Muro de Berlim, na qual jovens vindos de dois blocos separados e hostis (oriente e ocidente) puderam, finalmente, celebrar de mãos dadas a fé em Jesus Cristo. A

Jornada de 2000 também foi especial, mais de 2 milhões de jovens foram a Roma para celebrar o Jubileu da Igreja. Essa edição ficou marcada pela espontaneidade de João Paulo II na vigília de Tor Vergata. “Acredito que a espontaneidade de João Paulo II foi uma coisa que cativou a todos nesta jornada”, afirma Odair José, que participou desse evento.

“Foi uma coisa impressionante, mais de um milhão de pessoas, ali reunidas, mas quando o Papa falava, havia aquele silêncio para ouvir a voz do Pastor”, lembra Marcelo Cintra, que atendeu ao chamado de João Paulo II e foi a Toronto, Canadá, para a JMJ do ano de 2002, a última jornada de João Paulo II. “Todos os anos o Papa dizia: ‘Vejo vocês em tal lugar (próximo país-sede)’, mas, no final dessa JMJ, ele disse: ‘Jesus espera vocês em Colônia, na Alemanha’ (JMJ de 2005)”. O Papa sabia que ele não estaria em Colônia. Acho que por causa da saúde dele”, recorda Marcelo, emocionado.

“Essa JMJ vai ser emocionante, porque será a primeira Jornada com dois Papas: um no céu e outro na terra”, pensou Hugo Daniel, que participou da JMJ de Colônia em 2005, a primeira vez sob o comando do novo Pontífice: Bento XVI. Essa edição criou uma grande expectativa em muitos jovens, e quem acreditava que o número de participantes diminuiria devido à morte de João Paulo II se enganou, pois mais de 2,5 milhões de jovens peregrinaram à cidade alemã para um encontro com o Papa alemão.

↑ topo