Cerimônia de acolhida

“Desejo que o que vivemos aqui seja para a vida toda!”

Jovens testemunham sobre o momento de acolhida com o Papa

Luana Oliveira,
Enviada especial ao Rio de Janeiro

Sonhos, emoção e até lágrimas fizeram parte da noite dos peregrinos presentes na orla da praia de Copacabana (RJ) para a cerimônia de acolhida do Papa Francisco, nesta quinta-feira, 25.

Depois de muita expectativa desse encontro com os jovens, o Santo Padre lhes dirigiu palavras de incentivo, reafirmando a fé e a perseverança com que cada um é chamado a viver.

Geovana, Maira Julia e Rafael Carlos, de São José do Rio Preto (SP)

Geovana, Maira Julia e Rafael Carlos, de São José do Rio Preto (SP)

Os paulistas Rafael Carlos, Maria Júlia e Geovana Santos disseram que fazer parte desse momento foi contagiante, tendo em vista todo o esforço empreendido para conseguirem chegar ao local da Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro. “Não foi nada fácil chegar até aqui, não tínhamos dinheiro para arcar com as despesas da viagem. Fizemos vários projetos, vendemos pastéis e conseguimos doações,” contou Rafael.

A palavra “JMJ” tem sido, para muitos, sinal de superação e perseverança, principalmente para aqueles que vieram de longe, muitos dos quais sem condições financeiras para as despesas da viagem.

“Eu esperei muito por este momento! Foi um sonho!”, exclamou a estudante Maria Júlia. Geovana, amiga dessa jovem, completou: “Os momentos que me marcaram foram as vezes em que o Papa carregava as crianças no colo e o desejo dele de estar conosco ”. Rafael, estudante de educação física, disse esperar, a partir desta jornada, que os jovens coloquem em prática tudo o que vivenciaram: “Desejo que o que vivemos aqui seja para a vida toda!” Ressaltando a humildade do Sumo Pontífice: “O Papa Francisco é um exemplo de humildade, fé e de amor a Deus, que nós devemos seguir”..

Luana-250713-002

“Foi um momento único, precisava registrar”, contou o jovem.

Durante a cerimônia de acolhida, os peregrinos buscavam registrar o tão esperado momento. Exemplo disso foi o jovem Plínio Tabaiano, da cidade de Açailândia, do estado do Maranhão:  “Foi um momento único! Precisava registrar. E ainda dizem que homem não chora… Lágrimas rolaram e meu coração bateu à mil. Todas as vezes que revejo a filmagem, revivo a emoção que senti”. O jovem auxiliar de escritório revelou que passou três dias na estrada entre o Maranhão e o Rio de Janeiro. “Vim com três pessoas de nossa comunidade. Faz muito tempo que estamos nos organizando para viver este momento, e graças a Deus, ele chegou!”

As mexicanas Fernanda Guerrero e Thalita Radás partilharam que todos os esforços valeram a pena para chegarem ao maior evento juvenil da Igreja Católica e testemunharem a fé: “Foi lindo tocar na fé do Papa Francisco e na dos jovens aqui presentes! Tudo isso preencheu nosso coração de muito amor. Agradecemos a acolhida do povo brasileiro!”.

Fernanda Guerrero e Thalita Radás, jovens mexicanas

Fernanda Guerrero e Thalita Radás, jovens mexicanas.

 

Comentários O seu comentário será aprovado automaticamente, portanto evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo