Dom Nelson Francelino

Bispo auxiliar do Rio conta como foi seu encontro com o Papa em Sumaré

Elcka Torres
Enviada especial ao Rio de Janeiro

Na manhã desta quinta-feira, 25, o Bispo Auxiliar da Arquidiocese do Rio do Janeiro, Dom Nelson Francelino Ferreira, esteve com o Papa Francisco no Palácio de Sumaré, onde o Pontífice está hospedado. Além de tomar o café da manhã com o Santo Padre, o prelado também concelebrou a Santa Missa com ele.

“Hoje, na Missa, ele [referindo-se ao Papa] fez uma homilia belíssima para os seminaristas, falando justamente que nós somos frágeis, nós somos barro, nós somos de argila. Ele ainda disse uma coisa interessante: ‘É bonito a gente se sentir barro, pois expressa o que somos, sobretudo, quando buscamos a confissão, frequentemente percebemos nossa fragilidade e que precisamos da força de Deus’. Depois, fomos tomar o café com os bispos auxiliares, quando me apresentaram a ele. O Papa afirmou: ‘Esse eu já conheço’. Então, eu me senti mais em casa. Foi uma experiência bela perceber que estamos diante de um grande Papa, um grande santo e, ao mesmo tempo, um grande pai. Uma experiência que ‘a mesa’ nos proporciona. Também tive o privilégio de estar com o Papa Francisco, na terça-feira, 23, em um almoço bastante emocionante. Na verdade, esperamos ver um Papa e encontramos um amigo. Durante o almoço, parecia que ele já estava no nosso convívio, chegamos cheios de formalidade e encontramos um homem simples e santo. Confesso ter ido nervoso ao encontro dele, mas, ao chegar até ele, ele me abraçou sem formalidade. Podemos falar de tudo que ainda é possível, e eu, como bom ‘tricolor’, falei com ele até do Fluminense. Não levamos nenhum problema para a mesa”.

Dom Nelson, revelou que, quando disse ao Papa que iria à catequese, ele falou: ‘Leve minha saudação!’”

Comentários O seu comentário será aprovado automaticamente, portanto evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo